Intro

Bem vindo ao blog Cuiqueiros, um espaço exclusivamente dedicado à cuica – instrumento musical pertencente à família dos tambores de fricção – e aos seus instrumentistas, os cuiqueiros. Sua criação e manutenção são fruto da curiosidade pessoal do músico e pesquisador Paulinho Bicolor a respeito do universo “cuiquístico” em seus mais variados aspectos. A proposta é debater sobre temas de contexto histórico, técnico e musical, e também sobre as peculiaridades deste instrumento tão característico da música brasileira e do samba, em especial. Basicamente através de textos, vídeos e músicas, pretende-se contribuir para que a cuica seja cada vez mais conhecida e admirada em todo o mundo, revelando sua graça, magia, beleza e mistério.

(To best view this blog use the Google Chrome browser)

domingo, 21 de abril de 2019

Vídeo 23 - Água de Cuíca [Ernani Cal e Lucas Gralato]

Hoje é o dia dela! Ela que teve o seu legado jurado à extinção, que deixaria órfãos verso, refrão e uma legião de boas praças. Parente da onça, barrica, puíta, sarronca e tantos outros esturros largados. Ela é de fato um tanto estranha, mas estranho mesmo é quem não sabe admirar essa peça rara da história. Essa tinhosa! De choros e sorrisos, euforias e lamentos. Que faz quebrar cintura de mulata e entortar perna de bamba. Ela é o cão! Fonte de inspiração e comunhão que nos faz querer protegê-la. E hoje, novamente, é o dia dela. Um brinde à cuíca! Um brinde com Água de Cuíca! Bebam sem moderação e apreciem sem pestanejar.


Água de Cuíca

Juraram seu legado, a extinção
Quizeram órfão verso e refrão
E uma legião de boas praças
Onça, barrica, puíta, sarronca
Ferina do esturro largado
Estranha, peça rara da história
Tinhosa de choros sorrisos
De euforias e lamentos
Quebrou cintura de cabrocha
Entortou perna de bamba

Tanto fez, foi cão e inspiração
Foi motivo de comunhão
Ninguém vai te condenar
Sou a sua proteção

Bebo água de cuíca
Bebo dela todo dia
Bebo água de cuíca
Bambo nela sem pestanejar

Brinco ela e vou

FICHA TÉCNICA

Composição: Ernani Cal e Lucas Gralato

Gravado no estúdio Podrera Records (2018)
Produção musical: Sidon Silva
Mixagem e masterização: Sidon Silva
Arranjo: Sidon Silva e Ernani Cal

Naipe de Cuícas e Coro gravados no EcoSom (2018)
Imagens: Sidon Silva, Ernani Cal e Yamê Valente
Edição: João Oliveira
Voz: Mako
Voz Tema: Lucas Gralato
Violão: Lucas Gralato
Bateria: Sidon Silva
Percussão: Sidon Silva e Ernani Cal
Cuícas: Ernani Cal e Lucas Gralato
Naipe de Cuícas: Antonio Simões, Doda Sodré, Edu Aguiar, Fabiano Magdaleno, Lia Wogel, Leandro Jordão, LERC, Mako, Neco, Rejane Rodrigues, Renight da Cuíca, Tom.
Coro: Antonio Simões, Doda Sodré, Edu Aguiar, Ernani Cal, Fabiano Magdaleno, Lia Wogel, Leandro Jordão, Lucas Gralato, LERC, Neco, Rejane Rodrigues, Renight da Cuíca, Sidon Silva, Tom, Yamê Valente.
.