Intro

Bem vindo ao blog Cuiqueiros, um espaço exclusivamente dedicado à cuica – instrumento musical pertencente à família dos tambores de fricção – e aos seus instrumentistas, os cuiqueiros. Sua criação e manutenção são fruto da curiosidade pessoal do músico e pesquisador Paulinho Bicolor a respeito do universo “cuiquístico” em seus mais variados aspectos. A proposta é debater sobre temas de contexto histórico, técnico e musical, e também sobre as peculiaridades deste instrumento tão característico da música brasileira e do samba, em especial. Basicamente através de textos, vídeos e músicas, pretende-se contribuir para que a cuica seja cada vez mais conhecida e admirada em todo o mundo, revelando sua graça, magia, beleza e mistério.

(To best view this blog use the Google Chrome browser)

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Disco 5 - Mina da Cuíca

Esse mundo da cuíca tem sempre alguma coisa reservada para nos surpreender. Quando a gente pensa que já viu de tudo, eis que surge algo inusitado como esse disco, Mina da Cuíca, produzido pela gravadora Building Records e lançado em 2004 pela Filmax Music.


Não tenho a intenção de fazer aqui qualquer tipo de julgamento sobre a qualidade artística desse disco, mas a curiosidade sobre a sua concepção é inevitável. Os destaques dados à cuíca no título do trabalho e na imagem da capa não se justificam em relação ao conteúdo musical. E o "som da cuíca"  anunciado na frase de introdução dita pela cantora – é tão artificial que sequer parece ter sido sampleado de um instrumento real. Mas o fato do lançamento desse disco ter ocorrido apenas na Espanha leva a pensar que todo esse destaque dado à cuíca possa ter sido feito com a intenção de explorar um instrumento "exótico", e assim chamar a atenção do público europeu. Independente dessa possível estratégia de marketing antropológico dos produtores, fato é que tanto a gravadora quanto o selo envolvidos nessa produção são voltados ao mercado de Dance Music. Deixo então aos experts do gênero qualquer complementação ao que já foi pontuado. Talvez o vídeo-clipe oficial desse hit os ajudem a tirar conclusões mais apuradas. Mas uma coisa é certa: a cuíca aí não passa de mera alegoria de mão.


.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Antiga técnica de execução

*por Marcello Sudoh e Paulinho Bicolor

Desde o início da década de 1930, chegando até a década de 1950, várias ilustrações publicadas em diversos jornais e revistas retrataram a cuíca sendo tocada sem que o instrumentista comprimisse a região central da pele, próxima ao "umbigo", conforme fazemos atualmente para extrair as notas agudas. Os exemplos destacados no slide abaixo apresentam os cuiqueiros segurando seus instrumentos debaixo do braço, com a boca da cuíca virada pra frente e a pele para trás, exatamente na direção oposta de como posicionamos o instrumento hoje.



Conforme já mencionado em uma postagem sobre a evolução sonora da cuíca, essa antiga técnica de execução permitia que apenas as notas graves fossem executadas, tendo como função marcar o tempo binário do samba. Uma prova muito evidente disso se encontra no trecho do filme That night in Rio que reproduzimos abaixo, uma comédia musical lançada em 1941, com a cantora Carmen Miranda entre os protagonistas do elenco. Vemos claramente o cuiqueiro (cujo nome ainda não identificamos) executar a cuíca desse jeito antigo, que deixaria de ser utilizado na medida em que se firmava a técnica que utilizamos atualmente.

.