Intro

Bem vindo ao blog Cuiqueiros, um espaço exclusivamente dedicado à cuica – instrumento musical pertencente à família dos tambores de fricção – e aos seus instrumentistas, os cuiqueiros. Sua criação e manutenção são fruto da curiosidade pessoal do músico e pesquisador Paulinho Bicolor a respeito do universo “cuiquístico” em seus mais variados aspectos. A proposta é debater sobre temas de contexto histórico, técnico e musical, e também sobre as peculiaridades deste instrumento tão característico da música brasileira e do samba, em especial. Basicamente através de textos, vídeos e músicas, pretende-se contribuir para que a cuica seja cada vez mais conhecida e admirada em todo o mundo, revelando sua graça, magia, beleza e mistério.

(To best view this blog use the Google Chrome browser)

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Cuiqueiros de Floripa

Essa matéria saiu no Blog TAMBORIM, de Ângela Bastos, no dia 16 deste mês. Mostrando que em Florianópolis a cuica também chora bonito! 

A cuica vai roncar...


A cuica vai roncar na festa do Berbigão do Boca, dia 25, no Centro de Florianópolis. Afinal, serão 50 cuiqueiros das cinco escolas de samba formando uma das maiores alas de cuica que se tem ideia.
Dú, mestre da bateria da Unidos da Coloninha, está animado. Tocador apaixonado e professor, ele aproveitou um jantar oferecido por Nivaldinho Machado, agora à noite, para conversar um pouco sobre a importância do exótico instrumento para o samba. Papo vai e papo vem, foi sugerido para após o Carnaval um encontro com a vinda de convidados para uma grande roda. Dú estima que cada uma das cinco escolas desfilem com cerca de 10 cuicas na Nego Quirido.
Pelo que deu para perceber o grupo está disposto a montar uma confraria, como já ocorre em outros lugares.
Democrático
Ver os cuiqueros conversar é um aprendizado. A cuica é um instrumento parecido com um tambor. Pode ser tocada por qualquer pessoa, independente do sexo, seja adulto ou criança. Por isso, democrático. Por dentro, existe uma haste de madeira presa bem no centro da membrana de couro. O som é obtido friccionando a haste com um pedaço de tecido molhado (antes usavam querosene) e pressionando a parte externa com dedo, produzindo um ronco característico. Quanto mais perto do centro da cuica, mais agudo será o som produzido.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Música 6 - Cuicas Loucas

Essa música foi gravada em 1972, no LP Batucada Fantástica Vol. 3 Luciano Perrone e seus Ritmistas Brasileiros. Esse disco é, portanto, o terceiro da série "Batucada Fantástica", produzida sob a batuta do maestro Luciano Perrone, um ícone entre os bateristas brasileiros e de toda parte do mundo.

Cuicas Loucas é um "duelo" de cuicas entre o Mestre Marçal e o Ministro da Cuica, dois cuiqueiros da maior importância (falaremos mais sobre eles em postagens futuras). A música começa com os dois tocando juntos, mas lá pelos vinte segundos, o Mestre Marçal segue sozinho e depois dá a vez para o Ministro (conhecido também como Ministrinho), que segue em sua performance até a volta do Marçal e logo a música se encerra.

A diferença da sonoridade que eles tiram de suas cuicas é nítida.
O Mestre Marçal vem com aquela elegância de sempre, muito swing, explorando conduções e frases entre sons graves, médios e agudos. Já o Ministro, é uma cuica mais "suja", o que, na minha opinião, não deixa de ser bonito também... puxadas curiosas e de muita inspiração. Dá pra perceber que nas suas combinações de ritmos ele fica variando bastante a pressão na pele para tirar várias notas - na maior parte, na região dos sons mais agudos. Sem contar o finalzinho da música, quando ele faz uma puxada muito engraçada. 

Vamos aproveitar a aula destes dois mestres! Até a próxima... 


.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

A cuica no jazz

Todos nós sabemos que a cuica é um instrumento típico do samba, e sabemos também que o samba é uma das maiores referências musicais do Brasil diante do mundo. Deste modo, o tempo se encarregou de levar o samba a lugares distantes e permitir que, ao longo dos anos de sua existência, ele fosse dialogando com outros gêneros musicais, como o jazz, por exemplo. A bossa-nova talvez seja o melhor caso para exemplificar os resultados gerados pelas influências entre esses dois gêneros musicais, que, dentre outros aspectos, ocorreu inclusive no âmbito da instrumentação. Essa postagem traz alguns registros que comprovam a presença da cuica no universo jazzístico.


A imagem acima é a capa de um livro JAZZ – History ▪ Instruments ▪ Musicians ▪ Recordings, da autoria de John Fordham, publicado pela editora Dorling Kindersley. Nele há algumas páginas dedicadas a instrumentos sul-americanos, caribenhos, asiáticos e africanos, introduzidos no jazz como resultados de buscas por novas sonoridades. O músico que faz a apresentação desses instrumentos no livro foi o Naná Vasconcelos, músico pernambucano com vaga cativa entre os grandes percussionistas do mundo.


No lado esquerdo dessa outra imagem está a página com as informações sobre os vários instrumentos mencionados. A parte que fala sobre cuica está ampliada à direita, onde se diz mais ou menos o seguinte: A cuica é um tambor de fricção brasileiro. Há uma vareta anexada dentro da pele, que o instrumentista esfrega com um pano umedecido, aplicando pressão sobre a pele, criando um gemido vocalizado, caracterizado muitas vezes neste processo.

É interessante notar que a cuica está relacionada entre os instrumentos de percussão, mas é descrita como um "tambor de fricção", o que de certa forma corresponde ao debate iniciado na postagem "Cuica é percussão?". Interessante também notar a parte em que o texto fala do "gemido vocalizado", pois o som da cuica realmente é muito parecido com um gemido de alguns animais e até mesmo com a voz humana, uma sonoridade, enfim, bastante peculiar.

Outro caso que exemplifica a presença da cuica no universo do jazz é a gravação da música Brazilian Sugar, da autoria de George Duke, interpretada no disco do músico novaiorquino Steven Kroon - esse na imagem do player abaixo -, que tive a oportunidade de conhecer no ano passado, em Manaus, durante o 5º Festival Amazonas Jazz. Fiquei surpreso ao vê-lo tocar cuica durante o show em que ele acompanhava a cantora Carla Cook. Devido à concepção do arranjo, Brazilian Sugar está mais para um samba-jazz do que um jazz propriamente dito. E como a gravação é relativamente longa, o trecho em que o Steven toca cuica começa por volta dos 4min40seg.


Outro registro onde a cuica também bate uma bola com o jazz é a música Rocking with Mocotó, gravada no fabuloso disco Dizzy Gillespie no Brasil com Trio Mocotó, produzido em 1974, mas lançado bem mais tarde, em 2009, pelo selo Biscoito Fino. O disco celebra o encontro entre o trompetista Dizzy Gillespie, um dos maiores nomes da história do jazz, e o Trio Mocotó, grupo de São Paulo que durante muitos anos teve como um de seus integrantes nosso ícone Fritz Escovão, um dos maiores virtuoses da cuica de todos os tempos. E é ele, claro, quem nos presenteia com essa belíssima performance, travando uma espécie de conversa entre a sua "chorona" e o trompete de Dizzy Gillespie.


Para finalizar, um vídeo com imagens de um famoso programa de TV norte-americano, onde uma orquestra comandada por Quincy Jones interpreta a música Soul Bossa Nova, de sua autoria. O cuiqueiro que aparece nas imagens é o músico brasileiro Paulinho da Costa, que há muitos anos se mudou para os Estados Unidos e lá construiu sua bela carreira.

.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Confraria da Cuica (Porto Alegre)

Foto: Luiz Armando Vaz

No sábado passado saiu no site do Diário Gaúcho uma matéria sobre a Confraria da Cuica de Porto Alegre... "um grupo de músicos que se reúne regularmente para trocar ideias e comentar novidades sobre os sons de um dos instrumentos mais exóticos que existem: a cuica. É a Confraria dos Cuiqueiros." É muito bom saber que existem pessoas de norte a sul do país fazendo ecoar o som deste instrumento que nós gostamos tanto!

CLIQUE NA IMAGEM PARA ABRIR O LINK

Clique e veja também a matéria do Blog Chora Cavaco 
Incluído em 19/02/11

sábado, 5 de fevereiro de 2011

ERRATA

Rapaziada, preciso acrescentar e corrigir algumas informações sobre postagens deste Blog... vou começar pelas mais antigas. Seguinte!

---------------------------------------------------------------------------

Essa música, interpretada pelo Trio Mocotó com o Fritz Escovão solando na cuica, é na verdade uma versão da música Raindrops Keep Falling on my Head, de Burt Bacharach e Hal David. Esse é o título original, que traduzido fica Gotas de chuva continuam caindo em minha cabeça. O arranjador dessa versão do Trio Mocotó é o Rogério Duprat.
---------------------------------------------------------------------------
Postagem: A pele, de 14/12/10.

Fiquei sabendo outro dia desses que os curtumes da região Sudeste, que abastecem as lojas e fornecem as peles  para as baterias das escolas de samba do Rio e de São Paulo, na realidade compram o couro de outros curtumes da Bahia e de outros estados do Nordeste. As peles vêem semi-prontas e o trabalho que eles fazem é passar produtos químicos, fazendo com que o couro fique adequado para as nossas cuicas, por exemplo. E esse processo químico interfere na qualidade da pele. As melhores, obviamente são aquelas que sofrem um processo bem feito, além de um bom corte etc.
---------------------------------------------------------------------------
Postagem: Música 4 - A cuica no "Samba de uma nota só", de 19/12/10.

O cuiqueiro que fez essa gravação é o Sr. Quirino Lopes, que na época liderava a ala das cuicas na Mocidade Independente de Padre Miguel e que hoje integra a Velha Guarda de sua querida escola.
---------------------------------------------------------------------------
Postagem: Cuiqueiros 1 - Boca de Ouro, de 13/01/11.

Bom, agora preciso pedir desculpas e confessar que cometi um erro nessa postagem. O Boca de Ouro realmente gravou cuica no disco Batucada Fantástica – Os Ritmistas Brasileiros, mas parece que não foi só ele e justamente a faixa intitulada Cuica - aquela que eu coloquei na postagem - deve ter sido gravada por outro cuiqueiro, mas não pelo "Rei da Cuica". Quem me alertou sobre isso foi a mesma pessoa que me deu muitas informações sobre o Boca, alguém que deve ser ouvido com atenção sobre assuntos como este, o Sr. Osvaldinho da Cuica. Ele viu a postagem, ouviu a música e disse de bate-pronto: "mas esse não é o Boca! Ele não tocava assim... Deve ser o Marçal, talvez...". A partir daí comecei a procurar outras gravações do Boca para ouvir e comparar com aquela. Achei algumas e a cada uma que eu ouvia, me convencia ainda mais de que o Sr. Osvaldinho tinha razão. E acho que ele está certo também quando disse que deve ser o mestre Marçal naquela gravação. Estou anexando aqui embaixo uma música do mesmo disco Batucada Fantástica, mas dessa vez com o Boca de Ouro na cuica e um vídeo (muito bom!) com um trecho do filme Quem roubou meu samba?, onde o Boca aparece interagindo na cena. Acho que assim consigo me redimir com vocês desse meu engano. É isso minha gente, faz parte!


Samba Quente (Batucada Fantástica - Os Ritmistas Brasileiros)




Ps.: Vídeo indicado pela amiga Nati. Valeu pela dica!