Intro

Bem vindo ao blog Cuiqueiros, um espaço exclusivamente dedicado à cuica – instrumento musical pertencente à família dos tambores de fricção – e aos seus instrumentistas, os cuiqueiros. Sua criação e manutenção são fruto da curiosidade pessoal do músico e pesquisador Paulinho Bicolor a respeito do universo “cuiquístico” em seus mais variados aspectos. A proposta é debater sobre temas de contexto histórico, técnico e musical, e também sobre as peculiaridades deste instrumento tão característico da música brasileira e do samba, em especial. Basicamente através de textos, vídeos e músicas, pretende-se contribuir para que a cuica seja cada vez mais conhecida e admirada em todo o mundo, revelando sua graça, magia, beleza e mistério.

(To best view this blog use the Google Chrome browser)

quinta-feira, 31 de março de 2011

Vídeo 6 - A Rainha e a Cuica

Amigos, dêem uma olhada nesse vídeo! É um filme bastante criativo feito com  imagens de arquivo da extinta TV Tupi. Escrevi uma sinopse para vocês terem uma ideia prévia do quanto esse filme é engraçado de tão maluco... rs! Aí vai:

Durante uma visita ao Brasil, a rainha da Inglaterra é levada pelo então presidente Juscelino kubitschek para assistir à um ensaio da escola de samba Portela. Durante o evento, a rainha fica hipnotizada pelo som da cuica tocada por um homem chamado Bigode e surge uma grande atração entre eles. Os dois fogem para poderem viver esse amor proibido, mas com o desaparecimento da rainha, suspeita-se que ela tenha sido sequestrada e Bigode é considerado o principal suspeito. Inicia-se uma grande operação de resgate, o governo é deposto e os militares tomam o poder, instaurando a ditadura no Brasil. O "cativeiro" é encontrado, mas a rainha não e a polícia prende Bigode, que é levado à julgamento na Inglaterra. Bigode faz um surpreendente discurso de defesa, deixando o mundo inteiro abalado.



Direção e Roteiro: Felippe Mussel
Montagem: Moisés Zylberberg
Desenho Sonoro: Fabrício Batista, Bruno Mello Conceito e Joana Luz
Edição de Som: Felippe Mussel
Diálogos e Dublagens: Bruno Mello Conceito, Fabrício Batista, Joana Luz, Felippe Mussel, Tchelo Mello, Carolina Fortuna, Leo Rivera e Miquinou

quinta-feira, 24 de março de 2011

3º Encontro de Cuicas e Desfilantes

Realização: Alex Fabiano - Rodrigo Canavarro - Quirininho

Atenção cuiqueiros do Rio de Janeiro! Irá acontecer no próximo sábado, dia 26, o 3º Encontro de Cuicas e Desfilantes. Trata-se de um encontro informal entre os cuiqueiros das escolas de samba do Rio de Janeiro e seus familiares (que geralmente também desfilam em alguma ala das escolas). O evento não conta com nenhum patrocínio ou apoio financeiro e também não tem qualquer ligação com alguma escola de samba específica. A entrada é gratuita, mas a organização pede que cada pessoa leve 1 Kg de carne à sua escolha e alguma bebida. Se for cerveja, uma caixa de latinha e se for refrigerante, uma garrafa de 2 litros. Obviamente, é para levar a cuica também, pois haverá uma sinfonia de cuicas acompanhada por uma pequena bateria. No ano passado estiveram presentes cerca de 80 cuiqueiros, além dos familiares e de alguns convidados especiais, como mestres de bateria e membros de diretorias. Mas de fato, é um evento totalmente voltado para a cuica. Inclusive, será discutida a criação do troféu Cuica de Ouro. A ideia deste troféu é que seja uma premiação anual entregue à melhor ala de cuica, ou seja, aquela que produziu um som mais uniforme, que se manteve mais alinhada durante o desfile, entre outros quesitos. Mas o principal deste troféu é enaltecer o instrumento e estimular as alas de cuica à "chorar" ainda mais bonito na avenida. A inspiração vem de outras premiações como o Estandarte de Ouro, do jornal O Globo, que este ano deu o troféu de melhor bateria à Estação Primeira de Mangueira, justamente a escola que desfilou com as cuicas no meio da bateria, e não nas primeiras fileiras, como tradicionalmente fazem a maioria das escolas de samba. De forma alguma pretendo tirar o mérito da verde e rosa, que merece muito respeito por sua enorme tradição, mas como disse um amigo meu: "imagina só se essa moda pega?". Bom, no sábado a gente conversa mais sobre isso tudo. Até lá!

Início: 13 horas.
Endereço: Rua Brigadeiro Dellamare, nº. 302, Marechal Hermes. 
(Fica próximo ao hospital Carlos Chagas)  

OBS.: Não esqueça de levar a cuica, carne e bebida!

terça-feira, 22 de março de 2011

Cuica X Opossum

(Gambá atravessando)
Não sei se vocês já repararam, mas passei a escrever a palavra cuica sem o acento agudo no i. O motivo disso não é o novo acordo ortográfico da língua portuguesa. É que pelo menos 10% dos acessos a este Blog são de pessoas de fora do Brasil e por isso instalei um recurso do Google que permite traduzir os textos para diversas línguas. O problema é que na tradução a palavra cuica (com o acento agudo) fica "gambá". Daí, quando alguém traduzir para o inglês, por exemplo, cuica fica "opossum"... em espanhol "zarigüeya", holandês "buidelrat", em indonésio "semacam tupai" e por aí vai. Ou seja, é como se nós brasileiros fôssemos ler alguma postagem deste Blog e no lugar da palavra cuica aparecesse gambá. Para se ter uma ideia melhor, aquela postagem da música Cuicas Loucas, em outras línguas ficaria "Gambás Malucos"... aí não dá, né pessoal? Pois então... fui obrigado a modificar todas as vezes que escrevi cuica da forma correta e passar a escrever assim - CUICA - sem o acento agudo. Mas essa confusão que o Google faz tem um certo fundamento.

Naquela postagem A origem do termo "cuica" eu já havia falado sobre a ligação do nosso querido instrumento musical ao mamífero que possui este mesmo nome. Parece que ele emite um som semelhante à nota aguda da cuica (instrumento). O animal cuíca é uma espécie de gambá que existe a mais de 65 milhões de anos! Então, eu acho que nem adianta a gente querer brigar pela titularidade desse nome e a única maneira de evitar esse mal entendido é continuar escrevendo cuica sem o acento mesmo. Tentei encontrar algum vídeo que mostrasse o som que esse animal faz e ver se é realmente parecido com o som da cuica, mas o máximo que encontrei foi esse aqui em baixo... não era bem o que eu procurava, mas tá valendo. É divertido!

terça-feira, 8 de março de 2011

O cuiqueiro e a passista

Durante o carnaval, talvez não exista um momento mais especial para um cuiqueiro do que ser fotografado ou filmado, tocando ao lado de uma bela passista durante o desfile de sua escola de samba.

A imagem dessa dupla já está gravada no imaginário coletivo e embora não seja muito citada, tem uma representação bastante significativa dentro da cultura carnavalesca. Não tanto quanto outras personagens como o mestre-sala e a porta-bandeira, o rei Momo ou as baianas, mas a reverência dos cuiqueiros às passistas, tocando agachados enquanto elas sambam, é uma cena obrigatória no roteiro de qualquer filme sobre o carnaval das escolas de samba.
Os cuiqueiros estão sempre sorrindo, alguns até fazem umas caretas engraçadas... e elas, as passistas, dispensam qualquer comentário. É impossível dizer quando essa história começou, mas o fato é que cuiqueiros e passistas formam um par perfeito!

Quando falei que a imagem dessa dupla é bastante representativa, me refiro, por exemplo, a o que a foto na capa do jornal argentino Olé diz melhor do que qualquer palavra.

Jornal Olé (junho de 2006)
Essa foi a capa de uma das edições durante a copa do mundo realizada na Alemanha. É claro que a frase "o mais grande do mundo" se refere à seleção brasileira penta-campeã, mas é também uma brincadeira com o "pandeiro" um tanto quanto avantajado em primeiro plano. Não quero discutir aqui o caráter desse trocadilho, mas como hoje é o Dia Internacional da Mulher, acho importante chamar atenção para a banalização, ou melhor, "bundalização" da imagem das mulheres, principalmente no universo do samba, o que infelizmente parece não ter fim. Bom, mas isso dá muito pano pra manga e como este Blog se chama CUIQUEIROS, voltemos ao nosso principal assunto. Na foto, ele está logo atrás, tocando agachado e fazendo uma careta engraçada. Esse estereótipo de cuiqueiro é bacana porque tem um aspecto alegre, que se completa com a sonoridade da cuíca, muitas vezes utilizada de maneira cômica. Mas por outro lado, me preocupa o fato dessa imagem "folclorizada" ser determinante em tudo que se refere à cuica e aos cuiqueiros. A dedicação que este instrumento exige, a manutenção, a dificuldade de se tirar um belo som e tudo mais que o tornam tão especial ficam à margem diante dessas imagens superficiais, que mostram apenas um momento curto, ainda que de alegria, mas que não contemplam o quanto a nossa relação com a cuica é maior do que isso.

Bom minha gente, mas tocar sorrindo e fazendo caretas engraçadas também faz parte da vida de cuiqueiro e as palavras escritas acima não sugerem que isso mude. Quanto às questões pertinentes à cuica que não são divulgadas, ficando apenas esse estereótipo de cuiqueiro, aí sim este Blog pretende fazer alguma coisa. Divulgar a cuica nas suas questões mais diversas e fazer deste instrumento cada vez mais respeitado e admirado é, certamente, o que todos nós cuiqueiros queremos. 

Vamos em frente! Até a próxima...
___________________________________________________

Ps.: Parabéns à todas as cuiqueiras pelo dia das mulheres!